22 de setembro de 2018

Aos pais


O inicio de um novo ano letivo também é sinónimo de adaptações. Adaptações à nova sala, adaptações aos novos adultos que rodeiam as crianças (sejam eles educadores, auxiliares, professores), adaptações às novas rotinas e aos novos colegas. É um período de verdadeiro stress para nós educadores, para as crianças e para os pais. Mas vamos combinar uma coisa pais? Sempre que forem levar as vossas crianças e elas ficarem a chorar não lhe mintam, não lhes digam que vão buscar o casaco ao carro, não lhe digam que já vêm quando só a podem vir buscar no final do dia. Digam-lhes apenas que vão trabalhar, que precisam de trabalhar para ter dinheiro para as coisas dela, expliquem porquê que têm de a deixar com outras pessoas. Acreditem que quando dizem que já vêm o vosso filho passa horas a perguntar por vocês, passa o tempo a olhar para a porta e que sempre que vêm outro pai a vir buscar o seu filho eles ficam tristes e desapontados. 

Não é a verdade um valor tão importante nas nossas vidas? 
Então porquê mentir aos nossos filhos?

7 de setembro de 2018

Produtos terminados 17 # ago 18


Em agosto muitos foram os meus produtos terminados, principalmente no que concerne a cabelo. Será que voltaria a comprar cada um destes produtos?

5 de setembro de 2018

Unhas do mês 16 # set 18


As unhas de setembro foram feitas a meio do mês de agosto e, por isso não vão certamente durar todo o mês. Fiz a manutenção das minhas unhas no primeiro dia de férias e queria um cor de rosa bem clarinho, mas não existindo a cor que queria optei por utilizar um rosa Barbie.


Confesso que não sei exatamente se posso usar esta cor no trabalho, mas qualquer coisa em casa consigo tirar a cor. 
Estou a adorar esta cor apesar de saber que não a vou repetir tão cedo.


 Como estão as vossas unhas este mês?

3 de setembro de 2018

Não metam medos às crianças


Certamente todos nós nos lembramos de um qualquer medo que vem desde a nossa infância e que nos fez ao longo do nosso vasto percurso ter algumas cautelas extras. Os meus pais, por exemplo, sempre me meteram medo com os ralos das piscinas e, por isso, eu evitava a todo o custo passar por perto com medo que eles se soltassem e que me sugassem.